sexta-feira, 31 de maio de 2013

Homem de Ferro 3

 
Foi no ano de 2008 que os fãs de quadrinhos viam nas telonas o início do Universo Marvel nos cinemas, com a estreia de Homem de Ferro. Depois disso, tivemos mais quatro filmes produzidos pelo Marvel Studios; até a terceira maior bilheteria da história – Os Vingadores (2012). Nesse ano a Marvel começa a chamada "2ª fase" nos cinemas e o primeiro filme a ser lançado é o Homem de Ferro 3.
 
A fragilidade e angustias humanas são colocada a prova, quando Tony Stark/Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) enfrenta um dos seus piores inimigos, o vilão Mandarim (Ben Kingsley). Mandarim põe em prova toda a astucia e inteligência de Tony Stark e não vê limites para reduzir a vida do Homem de Ferro ao pó. Após ter o seu mundo destruído pelo seu mais assombroso vilão, Tony Stark embarca em uma odisseia para recuperar sua vida, salvar o mundo e voltar a ser o brilhante Tony Stark.
 
O filme volta às telas reformulado, sem a presença de Jon Favreau na cadeira de diretor, agora ocupada por Shane Black – roteirista da série Máquina Mortífera. E essa talvez seja a razão pela qual o longa não esteja a altura dos anteriores.
 
 
O melhor do filme – sem contar as atuações de Robert Downey Jr. que está mais uma vez impecável, e do vilão interpretado pelo talentoso Ben Kingsley (que poderia ser épica se não fosse a abordagem que deram ao personagem no final da trama) – é a tentativa de humanizar mais Anthony Stark. Várias vezes ao longo do filme, fica explícito o quanto Anthony ficou afetado pelo o que aconteceu em Os Vingadores, quando enfrentou seres alienígenas ao lado de um supersoldado, um deus, uma espiã russa, um arqueiro e um Hulk e se jogou dentro de um "buraco de minhoca". Por causa de todos esses acontecimentos Stark ganha uma fragilidade psicológica, que se materializa no formato de ataques de ansiedade. E não é só ele que ganha mais tempo de tela. Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) finalmente deixa de ser apenas um rostinho bonito e ganha importância real no desenvolvimento da história, para a infelicidade dos fãs de James Rhodes/Patriota de Ferro (Don Cheadle), que aparece menos. Com todos esses elementos de roteiro, Homem de Ferro 3 poderia, sem dúvidas, se tornar o melhor filme da franquia. Mas não é isso que acontece.
 
O filme peca principalmente no exagero de alívios cômicos. Entendo que a história é a mais tensa e dramática das três feitas, e entendo também que a ideia não era transformar o Homem de Ferro em O Cavaleiro das Trevas (afinal, o conceito Marvel no cinema é bem diferente do utilizado pela DC),  mas exagerar nos alívios cômicos ao ponto de tornar algumas cenas em situações ridículas é forçar muito a barra. O que fizeram com o vilão Mandarim também não me agradou. Pode ser implicância de fã assumido de HQs, mas realmente não gostei da "atualização" que fizeram com ele.
 
 
Mais uma vez são as cenas de luta e batalhas aéreas que dão ritmo ao filme. Há realmente duas ótimas cenas que merecem elogios. Com a nova tecnologia, que permite controlar remotamente suas inúmeras Marks, Tony e Jarvis criam um exército de Homens de Ferro e fazem ótimo uso deste arsenal. O clímax é empolgante e as cenas de ação dissiparão todos os furos de roteiro encontrados no meio do caminho – e são mais furos do que a Mark 42 recebeu ao longo da jornada, acredite.
 
Homem de Ferro 3 tinha tudo para ser o melhor filme feito pela Marvel. Poderia ser até melhor que Os Vingadores. Mas infelizmente não foi isso que aconteceu. Com diálogos fracos e muitas vezes forçados, o longa só se sustenta pela ação em si. É claro que a Marvel pensa apenas no retorno financeiro, e isso aconteceu com louvor, afinal, Homem de Ferro 3 já é a quinta maior bilheteria da história do cinema. Espero que a chamada "2ª fase" da Marvel no cinema melhore a cada produção, porque se seguir o ritmo de Homem de Ferro, fico preocupado desde já.
 
 
6 PIPOCAS!  
 
 
 
 
Iron Man 3 – EUA, 2013 – 130 min.
 
Direção: Shane Black
 
Roteiro: Shane Black, Drew Pearce
 
Elenco: Robert Downey Jr., Guy Pearce, Ben Kingsley, Gwyneth Paltrow, Rebecca Hall, Paul Bettany, Don Cheadle, Jon Favreau, William Sadler, James Badge Dale