sexta-feira, 7 de setembro de 2012

50%


O câncer e a turbulência que ele provoca na vida de sua vítima já foram retratados de diversas maneiras no cinema: do melodrama açucarado à comédia de humor negro. Na televisão americana, dois ótimos seriados também abordam o tema: a série de ação Breaking Bad (2008-2011) e a comédia dramática The Big C (2010-2011). Desta vez, ele é retratado em 50%.
 
O longa veio para o Brasil direto para as locadoras e é baseado no livro I’m With Cancer, uma biografia do roteirista Will Reiser. Conta a história de Adam (Joseph Gordon-Levitt) um jovem de 27 anos que leva uma vida saudável e regrada, ao lado de sua namorada Rachael (Bryce Dallas Howard). O rapaz trabalha numa rádio em Seattle ao lado de seu melhor amigo Kyle (Seth Rogen). Após sentir dores na região lombar, ele procura um médico e é diagnosticado com um tumor maligno na coluna. Após uma pesquisa na internet, ele descobre que tem 50% de chance de sobreviver à doença.


Levado com uma tocante sensibilidade, o longa pode ser considerado o primeiro feeling good movie sobre câncer. O diretor Jonathan Levine acerta em cheio em tocar o filme para frente mostrando claramente a dor de parentes e amigos que percebem que alguém próximo tem a doença, as dúvidas sobre o futuro que o diagnosticado pode enfrentar e ao mesmo tempo tratar tudo isso com um olhar focado nas chances que a pessoa tem de melhora. Afinal, se uma doença te dá 50% de chances de vida, porque olhar apenas para a outra metade?

Outra qualidade do filme é saber diluir a comédia no drama, nos presenteando com momentos emocionantes (como o do colapso nervoso de Adam) e algumas tiradas engraçadas. Mesmo que o trabalho do jovem diretor Jonathan Levine não seja notável, ele demonstra sensibilidade ao retratar o universo ligeiramente melancólico de Adam.


A qualidade técnica do filme também deve ser lembrada. Edição, fotografia, trilha sonora estão impecáveis, e as atuações não deixam por menos. Nunca antes o papel de Seth Rogen como Seth Rogen foi tão bem colocado. Anna Kendrick como a psicóloga de Adam ganha vários pontos por sua simpatia, Serge Houde como o pai com alzheimer aparece pouco, mas ganha peso numa das partes finais do longa, e Anjelica Huston surge como a típica mãe protetora, mas sem exagerar a ponto de deixar o espectador a ponto de não gostar dela. Mas é realmente Joseph Gordon-Levitt que convence à todos como o sujeito que aceita tudo que acontece com ele e vai se transformando aos poucos em alguém que não quer desistir. Acredito que Joseph já é considerado um dos melhores atores da "nova geração" e tem tudo para continuar melhorando. Será um ator lembrado por todos no futuro.

50% tenta fugir dos extremos, não investindo nem no melodrama, nem numa abordagem fria. O roteiro do filme exibe uma visão que revela a sinceridade tocante de alguém que já vivenciou o drama da doença. Sendo assim, o longa não minimiza o sofrimento de se estar com câncer, mas também não faz dele uma tragédia. Acompanhamos, ao longo da história, a evolução da maneira com a qual o protagonista lida com sua nova realidade, as etapas da sua aceitação. É um filme que mescla drama, humor e emoção de uma maneira muito coesa. É um ótimo filme que revela um retrato sensível da luta pela vida.


 
8  PIPOCAS!
 
 
 
 
50/50 EUA, 2011 – 100 min.
 
Direção: Jonathan Levine
 
Roteiro: Will Reiser
 
Elenco: Joseph Gordon-Levitt, Seth Rogen, Bryce Dallas Howard, Anna Kendrick, Anjelica Huston, Serge Houde
 



6 comentários:

H.P.L. disse...

Esse filme me surpreendeu, é realmente muito boa a forma que o diretor mostra o sofrimento que o câncer trás. E também é o melhor filme do Seth Rogen, sem dúvida.

Alfred disse...

Esse é bom.

Anônimo disse...

Você sempre muito atento ao que o filme representa, ainda não pude assistir mas pretendo, Thiago você teria um Email para nós poder se comunicar melhor? pois gosto muito do que você faz!

Parabéns

Mafe!

Thiago Sakowski disse...

H.P.L., 50% também me surpreendeu! É um super filme, que mistura bem drama e humor, também acho que é o melhor filme do Seth. Muito obrigado pelo coméntário!

Valeu pelo comentário Alfred!

Oi, Mafe! Recomendo muito você assistir esse filme, tenho certeza que a sensibilidade dele vai te tocar! Meu e-mail fica no meu perfil! Todos que quiserem me mandar mensagens, fiquem avontade! Obrigado pelos comentários Mafe, você sempre visita o blog e peço para continuar, ok? =]

Anônimo disse...

Obrigada por responder Thiago, sempre gosto do que escreve, pode deixar que sempre vou comentar e ver o seu blog.

Beijos!

Mafe :)

Cão Dorna disse...

Eu n sou fã dos filmes do Seth Rogen, mas eu gostei desse e da atuação dele tb. É mais engraçado q qualquer filme q ele tenha feito.