segunda-feira, 6 de junho de 2011

X-Men – Primeira Classe

Tudo começou em 1963 quando Stan Lee e Jack Kirby criaram os X-Men. Numa época onde os super-heróis que dominavam as histórias em quadrinhos eram personagens tão invulneráveis aos problemas cotidianos, como por exemplo – o Superman que nem humano é – o que diferenciou os personagens criados por Stan Lee, eram os sentimentos e emoções humanas colocados neles de uma forma que qualquer um poderia se identificar. Os problemas dos super-heróis, poderiam ser os problemas vividos por você. O Homem-Aranha sofria com valentões na escola, e passava aperto para pagar o aluguel da casa. Os X-Men sofrem com o preconceito e a aceitação, tanto da sociedade, quanto dos mutantes por si próprios. E isso é exatamente o tema central do filme, a aceitação.

A raça mutante de que os X-Men fazem parte, sofre uma cisão de ideais, Charles Xavier, o telepata mais poderoso do mundo, acredita na convivência pacífica entre humanos e mutantes, enquanto Erik Lehnsherr, o mestre do magnetismo, acredita na supremacia da raça mutante sobre os homo sapiens. Esse debate já existia nos primeiros filmes da série, mas agora conhecemos como tudo começou. Desde o primeiro contato entre Charles e Erik, até a criação da escola e do vilão Magneto.


A trama se passa antes dos mutantes se revelarem para o mundo, com a Guerra Fria como pano de fundo, conhecemos o ínicio da amizade entre Charles Xavier (James McAvoy) e Erik Lensherr (Michael Fassbender), antes dos dois se chamarem Professor X e Magneto, eles eram dois jovens descobrindo seus poderes.

O que deve ser levado em consideração é que a cronologia não é a mesma das histórias em quadrinhos. Temos personagens criados nas décadas de 1980/1990, inseridos na década de 1960. Mas isso não altera em nada o desenvolvimento da trama. Talvez alguns fãns chatos (como eu) não tenham gostado de ver alguns personagens sendo representados como pré-adolescentes, mas isso talvez seja inevitável, pois esse é um recomeço da série, e precisavam de personagens que não tinham sido aproveitados nos filmes anteriores. O que também não está fiel aos quadrinhos, são as origens de alguns personagens. A Mística (Jennifer Lawrence) se torna "meia-irmã" de Charles e chega a ter um affair com Fera e Magneto! Moira MacTaggert (Rose Byrne) é uma agente da CIA. Emma Frost, a Rainha Branca (January Jones) decepciona. Nos quadrinhos ela sempre foi manipuladora, inteligente e extremamente sedutora, mas aqui ela se restringe em ser apenas uma mera obediente ajudante de Sebastian Shaw (Kevin Bacon), aliás, Bacon faz uma ótima interpretação, nos convence fazendo o vilão principal do filme. Que conta também com Azazel (Jason Flemyng) e Maré Selvagem (Aléx Gonzáles), personagens totalmente dispensáveis, só são aproveitados pelo visual e pela ação.

Os dois personagens principais Xavier e Magneto são o que há de melhor no filme, a todo momento há ótimos diálogos entre os dois, a cada cena fica claro a forma que cada personagem pensa, que ideologia acreditam. É incrível como questões são levantadas e os dois lados argumentam com razão e, ainda que antagônicos, pareçam igualmente corretos aos olhos do espectador. Mesmo que o foco principal seja nos dois, ainda sobra espaço para desenvolver os personagens secundários. Mística é uma personagem fundamental na história, é através dela que o diretor nos mostra bem os dois lados das ideologias em questão, a atuação de Jennifer cresce ao longo da história, e o fim de Mística todos sabem qual é. O núcleo formado pelos novos mutantes, Destrutor (Lucas Till), Fera (Nicholas Hoult), Banshee (Caleb Landry Jones), Darwin (Edi Gathegi) e Angel (Zoe Kravitz) dá o tom de humor de que o filme precisa para se estabelecer como entretenimento. Fica o toque que Wolverine faz uma hilária participação no filme.

X-Men – Primeira Classe, resgata com louvor a magia das histórias em quadrinhos dos anos 60/70, nas ideias, no design e na diversão. Temos todos os elementos que um bom filme de super-heróis deve ter: desde vilões estilosos, uniformes coloridos, efeitos especiais (não são tão bons assim, mas está valendo), humor e ação na medida certa, mas há também discussões sérias, qualidade de personagens e drama. Tenho certeza que Stan e Jacky estão orgulhosos dessse filme, e é claro, eu também estou.




8 PIPOCAS!




Ficha técnica

X-Men – Fist Class
– EUA, 2011 – 132 min.

Direção:
Matthew Vaughn

Roteiro:
Bryan Singer, Ashley Miller, Zack Stentz, Jane Goldman, Matthew Vaughn

Elenco:
James McAvoy, Michael Fassbender, Kevin Bacon, Rose Byrne, Jennifer Lawrence, Beth Goddard, Morgan Lily, Oliver Platt, Álex Gonzáles, Jason Flemyng, Zoë Kravitz, January Jones, Nicholas Hoult, Caleb Landry Jones, Edi Gathegi, Corey Johnson, Lucas Till, Laurence Belcher, Bill Milner

Nenhum comentário: