terça-feira, 21 de junho de 2011

Kung Fu Panda 2

Vimos no primeiro filme da série que o panda Po (originalmente dublado pelo ator Jack Black), consegue se tornar o grande Dragão Guerreiro das lendas que ele ouvia desde pequeno. Já em Kung Fu Panda 2, continuamos acompanhá-lo com seus golpes desajeitados e a sua fome contínua, mas dessa vez, Po está mais maduro e forte. E o filme também.

O longa começa mostrando a história do príncipe pavão Lorde Shen (Gary Oldman), que ao ouvir a profecia que um dia seria derrotado por um ser preto e branco, manda matar todos os pandas. Seus pais, desapontados pelo ato impensado, o banem do reino. Ele então jura voltar e se vingar, dominando o país. Utilizando-se da descoberta da pólvora, ele cria uma arma de fogo, que coloca em risco toda a China e o kung fu. Cabe então aos Cinco Furiosos – Louva-a-Deus (Seth Rogen), Macaco (Jack Chan), Tigresa (Angelina Jolie), Víbora (Lucy Liu), Garça (David Cross) e o seu líder Po – derrotarem essa ameaça.

O que mais difere essa sequência do primeiro filme, é que agora há diversas cenas feitas em um estilo de animação diferente de todo o resto, uma segunda técnica "desenhada a mão", mais próxima do 2D tradicional. Todas as lembranças que acontecem durante a história, são feitas assim. E digo que não me importaria nenhum um pouco em assistir o filme toda dessa maneira, pois a animação ficou linda demais.


Aliás, esteticamente, o filme todo é lindo. Todos os cenários das planícies chinesas que já eram bons no primeiro filme, ficaram mais belos ainda. A quantidade de detalhes e cores é impressionante. A água (muito importante no terceiro ato), está extremamente realista, e o traço dos animais estão mais sofisticados. É incrível como a tecnologia evoluiu em três anos.

As lutas também ficaram mais belas. Imagino como deve ter sido trabalhoso desenvolvê-las, pois há muitos movimentos e todos rápidos. Muitos detalhes o olho não consegue captar. Ficaram ótimas. Senti falta de uma grande batalha, principalmente com os personagens novos, mas as lutas que acontecem, não deixam a desejar. Gostei muito do estilo do Lord Shen, que usa suas penas como arma, em uma linda coreografia.

A história se desenrola de uma maneira menos brilhante do que o visual, mas não menos perfeita. Com um roteiro maduro, o filme empolga do começo ao fim. Ele equilibra muito bem as cenas de ação, com as cenas de humor físico e também verbal (que só não ficaram melhores por causa da dublagem cheia de gírias). E não é só lutas e cenas engraçadas, o arco principal é dramático, onde descobrimos a origem de Po e a luta dele para encontrar a paz interior, como lhe ensina o Mestre Shifu (Dustin Hoffman). Claro que há algumas cenas desnecessárias, mas não chegam a afetar a história como um todo. Algumas pessoas me disseram que o 3D desse filme está realmente muito bom, dizem que se você estiver afim de gastar uma grana com 3D, esse é o filme certo. Eu sou muito chato, e sempre prefiro assistir em 2D, mas como foi mais de um comentário, acredito que esse valha a pena.

Kung Fu Panda é um dos meus filmes favoritos, e depois dessa sequência, fica sendo ainda mais. Só o que me deixa apreensivo, é que no final do filme fica claro que um próximo longa será feito (ainda mais com a quantidade de dinheiro que ele está arrecadando). Pode ser um risco, uma ótima franquia pode se tornar um novo Shrek. Gostaria que os executivos de Hollywood levassem a sério o ditado popular: "Um é pouco, dois é bom e três é demais".



9 PIPOCAS!


Ficha técnica

Kung Fu Panda 2 – EUA, 2011 – 91 min.

Direção: Jennifer Yuh

Roteiro: Jonathan Aibel, Glenn Berger

Elenco: Jack Black, Dustin Hoffman, Angelina Jolie, Lucy Liu, David Cross, Jackie Chan, Seth Rogen, Gary Oldman, James Hong, Michelle Yeoh, Danny McBride, Jean-Claude Van Damme



3 comentários:

Albert E. disse...

Eu não gosto muito de animação. Mas eu acho q n faz muita importância o personagem ter a voz do jack black ou qualquer artista, pq quando chega aqui ele vai ser dublado pelo desconhecido.

Thiago Sakowski disse...

Ólá! Concordo com você, a não ser que a pessoa assista a versão original, em inglês... aí sim faz toda a diferença. Um exemplo básico, O Espanta Tubarões, filme que eu achei ruim, mas a versão orginal é muito melhor, com as vozes de Will Smith, Angelina Jolie, Jack Black e Al Pacino... para se ter uma ideia, aqui no Brasil o personagem do Will Smith teve a voz de Paulo Vilhena...

Watcher disse...

Essa questão da dublagem é polêmica... Eu não gostava de filme dublados em razão de experiencias passadas (80s, 90s) mas a dublagem evoluiu muito. É uma arte e temos profissionais muito bons, por exemplo, Guilherme Briggs (Buzz Lightyear). O problema é que muitas vezes a propria produtora não ajuda na escolha dos dubladores.


Ahh o filme? Não vi mas deve ser foda. Kung Fu e Zumbis sempre caem bem por pior que seja o filme hehe